PESQUISA DE VOOS

WEB CHECK-IN

,

 

,

 

,

 

,

MENU PRINCIPAL

Nullam ut neque neque Nullam ut neque neque Nullam ut neque neque Nullam ut neque neque Nullam ut neque neque Nullam ut neque neque

Aéreas devem registrar lucro de US$ 31,4 bilhões em 2017; Brasil se recupera

Voltar

Aéreas devem registrar lucro de US$ 31,4 bilhões em 2017; Brasil se recupera/></a>
	   <p class=Por: Panrotas| Data: 8.6.2017

A Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata) se mostra otimista com relação à previsão de lucratividade da indústria em 2017. Tanto é que a organização revisou para cima estes índices, durante a 73ª Assembléia Geral e a Cúpula Mundial de Transporte Aéreo, que reúnem mais de 1.000 representantes em Cancun, no México, até o dia 06 de junho. As empresas aéreas deverão registrar lucros de US$ 31,4 bilhões (maior que a previsão anterior de US$ 29,8 bilhões) sobre faturamento de US$ 743 bilhões (maior que a previsão anterior de US$ 736 bilhões). “Este ano será mais um período de desempenho sólido para a indústria das empresas aéreas. A demanda tanto de carga como de passageiros está mais forte do que esperado. Embora o faturamento esteja aumentando, os ganhos estão sendo espremidos pelo aumento dos combustíveis, mão-de-obra e despesas de manutenção. As empresas aéreas ainda estão no azul e apresentando ganhos acima do custo da capital. Porém, comparado com o ano passado, existe uma queda na lucratividade”, disse Alexandre de Juniac, diretor Geral e CEO da IATA. Em 2017, a previsão para as empresas aéreas é de obterem lucro líquido de US$ 7,69 por passageiro, abaixo dos US$ 9,13 registrados em 2016. A América do Norte, por exemplo, é a região onde cerca da metade dos lucros da indústria serão gerados (US$15,4 bilhões). As companhias na Europa e na Ásia-Pacífico, cada uma, terão lucros de US$ 7,4 bilhões. As aéreas da América Latina e do Oriente Médio são previstas para ganhar US$ 800 milhões e US$ 400 milhões, respectivamente. As empresas da África deverão registrar uma perda de US$ 100 milhões. Com relação somente à América Latina, a previsão e que as empresas registrem lucros de US$ 0,8 bilhões (acima dos US$ 0,6 bilhões em 2016), que representa US$ 2,87/passageiro. A previsão da demanda de passageiros, por sua vez, é que cresça em 7,5%, bem além da previsão do crescimento da capacidade (6,7%). Para a Iata, o continente experimenta condições comerciais ligeiramente melhores com o Brasil saindo de uma recessão. Por outro lado, a instabilidade política persiste em muitos mercados e os custos crescentes em dólares (para combustíveis) levantam desafios. E o caos político na Venezuela indica que não vai ser tão já que haja uma recuperação de US$3,8 bilhões de receitas das linhas aéreas que são bloqueadas contra repatriação. Mesmo assim, as empresas aéreas da região estão confrontando esses desafios e a América Latina é prevista como a única região a ver uma melhora nos seus negócios, comparado com o ano de 2016. O que impulsiona a previsão? Ambiente de demanda forte: O ambiente da demanda tem sido mais forte do que previsto. As expectativas para o crescimento do PIB em 2017 ficam em 2,9%. Por outro lado, existem os custos: aumento nos gastos com combustível, mão-de obra e manutenção aceleraram durante o primeiro trimestre. As despesas gerais da indústria são previstas para subir US$ 687 bilhões, o que representa um aumento de US$44 bilhões sobre o ano de 2016. As receitas da indústria são previstas para aumentar US$ 743 bilhões.

Ver Todas

 

 

ASSOCIAÇÕES

,